Verphy Kudi, a mãe que abandonou seu bebê por 6 dias

Verphy Kudi, de 18 anos, abandonou sua bebê de 1 ano e 8 meses em casa, enquanto saía para comemorar seu aniversário em Londres.

You are currently viewing Verphy Kudi, a mãe que abandonou seu bebê por 6 dias

Verphy Kudi foi uma jovem mãe inglesa, de apenas 18 anos na época do crime, que abandonou seu bebê por seis dias, enquanto festejava seu aniversário, ocasionando sua morte em dezembro de 2019.

Quem era Verphy Kudi?

Não se sabe muito sobre a infância e adolescência dela, mas a garota testemunhou vários episódios de violência doméstica enquanto criança, além disso sofreu abusos sexuais, o que pode ter desencadeado todo o desleixo que veio a matar seu bebê.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sua mãe a descrevia como uma criança feliz, mas que aos quatorze anos mudou completamente. Não se comunicava com a família, faltava a escola e passava vários dias fora de casa. Quando completou quinze anos seu paradeiro chegou a ficar desconhecido por duas semanas.

Inclusive, após esta ocorrência, o serviço social assumiu o caso e ela foi colocada em uma casa segura para menores. Nesta fase havia a preocupação de que estivesse sendo abusada sexualmente, e seis meses após ter ingressado no lar ela engravidou. Não há informações sobre a paternidade da criança.

A bebê Asiah Kudi

Asiah Kudi nasceu em 22 de Março de 2018, e a partir de então Verphy e a filha passaram a viver em um alojamento em Brighton para jovens famílias mantido pelo YMCA.

Enquanto moravam lá, a mãe deixou a filha sozinha por diversas vezes que puderam ser comprovadas através de imagens de câmeras de segurança localizadas na portaria do alojamento. Seis destas ocasiões foram bastantes significativas:

23/10/2019: a bebê foi deixada sozinha durante 7h e 18min enquanto a mãe comparecia a uma festa de aniversário em Brighton.

07/11/2019: a bebê foi deixada sozinha por 10h e 37min.

09/11/2019: a bebê foi deixada sozinha por 17h e 13min, a mãe retornou e logo depois saiu, deixando-a sozinha por mais 33 minutos.

23/11/2019: a bebê foi deixada sozinha por 2 dias, 5h e 51min enquanto a mãe comparecia a outra festa de aniversário.

28/11/2019: a bebê foi deixada sozinha por 11h e 35min.

Cronologia do caso

Em cinco de dezembro do mesmo ano, as câmeras de segurança mostraram Verphy deixando o prédio às 17h39min para ir a Londres começar as comemorações do seu aniversário de 18 anos. Novamente deixando sozinha sua filha de apenas 1 ano e 8 meses.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dados coletados pela polícia mostram que a jovem esteve em diversas festas durante estes dias.

No primeiro dia, Verphy sai de casa no horário acima citado, encontra o namorado e os dois saem para jantar com amigos. Nesta ocasião ela chega a dizer para os amigos que sua mãe está cuidando de Asiah. Ainda na mesma noite, envia uma mensagem de texto para a mãe dizendo que está doente e promete encontrá-la quando estiver melhor.

Em seis de dezembro encontra amigos no sudoeste de Londres. Um dia depois comparece a um show com um amigo na mesma região.

Em oito de dezembro, três dias depois de ter abandonado a filha, ela aparece em um vídeo postado na rede social. Verphy está em uma festa, e aparece sorridente no momento em que o DJ anuncia no microfone que é seu aniversário.

Link Reportagem BBC, onde Verphy aparece no vídeo comemorando.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No dia nove seguem as comemorações de seu aniversário, na companhia do namorado e amigos. Neste mesmo dia ela envia uma nova mensagem para mãe, desta vez pedindo dinheiro e alegando que não tinha como comprar alimentos para casa.

Em dez de dezembro dorme na casa de um amigo, e só no dia onze ela pega um trem de volta para Brighton. Ela retorna ao apartamento por volta das 15h. Totalizando seis dias de ausência.

Bebê encontrada morta

Verphy Kudi passa três horas no apartamento com Asiah já sem vida, e só às 18h06min comunica as autoridades. Ao telefone ela disse que seu bebê não acordava.

Quando os paramédicos chegaram ao local, encontraram a mãe incoerente, angustiada e perturbada. A bebê estava caída no chão, fria, e com sinais de rigor mortis.

Rigor mortis: é um sinal reconhecível de morte que é causado por uma mudança bioquímica nos músculos, causando um endurecimento do cadáver e impossibilidade de mexê-los ou manipulá-los. O tempo de início e duração depende da temperatura e umidade do ambiente e do corpo. Em média começa após 4-8h, e máxima em 12-18h, e terminando após 24-36h.

Os paramédicos descobriram que Asiah não estava respirando e a levaram às pressas para o Hospital Infantil Royal Alexandra, onde ela foi declarada morta logo após sua chegada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Investigação

Quando a mãe foi entrevistada pela primeira vez pela polícia, ela afirmou que estivera com a bebê no apartamento o tempo todo, exceto por uma visita que fez com ela a Londres.

Mas os policiais encontraram a filmagem do CCTV, e também descobriram filmagens de telefone tiradas durante seu tempo fora de casa.

Após ser confrontada com as provas, Verphy Kudi admitiu o homicídio culposo de Asiah Kudi, de 20 meses, que foi deixada em seu apartamento em Brighton enquanto comemorava seu 18º aniversário em dezembro de 2019.

Ela viajou para Londres e Coventry, e agiu como uma “adolescente despreocupada”.

disse a juíza Christine Laingm.

A juíza Christine Laing ainda acrescentou, dizendo a Verphy que Asiah “era uma criança indefesa” que “confiava totalmente em você como sua mãe para suprir suas necessidades”.

É quase insuportável contemplar o sofrimento dela nos últimos dias de sua vida, o sofrimento que ela suportou para que você pudesse comemorar o seu aniversário e os aniversários dos seus amigos como uma adolescente despreocupada.

palavras de Christine dirigidas a Verphy.

Sentença

Verphy Kudi, de 19 anos e sem endereço fixo, foi sentenciada há nove anos de prisão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ela será elegível para liberdade condicional após cumprir 2/3 da pena, ou seja, apenas seis anos.

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments

Juliane Cunha

27 anos, trabalho na área da saúde. Adoro escrever e também adoro casos criminais, nada melhor que unir o útil ao agradável. Me segue no Instagram @julianesantt | @casocriminal_