Início » Crimes Cruéis » Becky Watts, o assassino pode estar em família

Becky Watts, o assassino pode estar em família

Becky Watts, de apenas 16 anos de idade, foi sequestrada, abusada e morta por seu meio-irmão. A ação foi premeditada e contou com a ajuda de sua namorada.

Rebecca Marie “Becky” Watts nasceu em 3 de junho de 1998 na cidade de Bristol, Inglaterra. Desde muito pequena Becky morava com seu pai e madrasta, devido a alguns problemas resolvidos na justiça, onde sua mãe precisou abrir mão da guarda da criança.

Além disso, Becky possuía um irmão mais velho e também um meio-irmão que era filho de sua madrasta, Nathan Matthews. Os garotos não moravam na mesma casa de Becky, mas Nathan frequentemente visitava a mãe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Becky gostava muito de Nathan, inclusive uma das primeiras palavras que falou quando bebê, foi o nome de seu meio-irmão. Mas o garoto não retribuía o sentimento, Nathan tinha muito ciúmes de Becky e a tratava com desprezo.

Durante a adolescência, Becky sofria bullying na escola e chegou a desenvolver um quadro de anorexia. Após tratamentos médicos ela voltou a ser saudável, mas sua timidez e insegurança persistiram. O pai de Becky conta que ela tinha vergonha até de ir ao mercado sozinha.

Becky em suas publicações em redes sociais. / Foto: Facebook.

Sumiço repentino

Na nanhã de 19 de fevereiro de 2015, Becky, então com 16 anos de idade, retornou para casa após passar a noite em uma festa do pijama de uma de suas amigas. Elas aproveitaram bastante o tempo juntas e assistiram filmes durante toda a madrugada.

A garota estava cansada, e após trocar algumas palavras com Anjie Galsworthy, sua madrasta, ela foi para o quarto dormir. Anjie sofria de esclerose múltipla, e neste dia saiu para uma consulta médica às 11h15min.

Assim que a madrasta saiu, Nathan e sua namorada, Shauna Hoare chegaram na casa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quando Anjie voltou para a casa, não encontrou Becky. Era bastante estranho que a garota tivesse saído sozinha, seu notebook, celular, roupas e mochila estavam no quarto, ela não parecia ter levado qualquer pertence consigo.

Desaparecida

Becky Watts foi dada como desaparecida por volta das 16h do dia seguinte. A mídia foi envolvida na busca, fotos da vítima apareceram em programas de televisão, e seu pai e sua avó fizeram apelos ao vivo em programas jornalísticos. Uma campanha online usando a hashtag “#FindBecky” foi lançada nas redes sociais, alcançando mais de dois milhões de pessoas em todo o mundo. 

Como é comum em desaparecimentos de adolescentes, a polícia não estava descartando a hipótese de fuga, mesmo que tudo indicasse o contrário. Foram feitas buscas em espaços abertos próximos e áreas de parques, bem como consultas na casa de seus vizinhos entre os dias 19 e 23 de fevereiro.

Investigação

A polícia ouviu informações de Nathan e Shauna, já que eles foram os últimos a ver a garota. Eles disseram que Becky havia desaparecido depois de deixar a casa da família, e que deduziram isto após ouvirem a porta bater.

Durante as entrevistas com o casal, algo chamou a atenção dos policiais, o comportamento de Shauna era bastante estranho. Ela não mostrava qualquer preocupação e de vez em quando dava risadas durante a conversa policial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já Nathan assumiu que não gostava de Becky, segundo ele a garota era mimada e tomava muito tempo de seu pai e madrasta. A polícia decidiu fazer mais perguntas enquanto vistoriavam novamente a casa de Becky.

Lá eles encontraram uma mancha de sangue na parede, e nela havia uma impressão digital. Um laudo foi pedido com urgência, e nele ficou comprovado que o sangue pertencia a Becky e a impressão digital era de Nathan.

Em 28 de fevereiro, Nathan e Shauna foram presos em conexão com o desaparecimento de Becky Watts, sendo liberados posteriormente.

Revista na casa do casal

A polícia visitou o apartamento do casal, o ambiente era sujo e bagunçado, mas algo chamou bastante a atenção. A banheira estava muito limpa, não havia qualquer mancha, isso destoava do resto da casa.

Apartamento de Nathan e Shauna. / Foto: Reprodução.

Em 2 de março, eles foram presos novamente por suspeita de assassinato devido a registros de câmeras de segurança de um mercado, onde Nathan aparece comprando uma serra circular, luvas, óculos de proteção e produtos de limpeza.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No dia seguinte, o corpo desmembrado de Becky foi encontrado em uma propriedade em Barton Court. Em 4 de março, Nathan Matthews foi acusado de assassinato. A partir deste momento ele assumiu envolvimento, dizendo que sua intenção era apenas sequestrá-la, mas algo saiu do controle.

Segundo ele, Becky precisava apender a dar valor a família e ser menos mimada, e após o sequestro ela seria capaz de melhorar os aspectos que ele achava errado. Em 22 de junho, Shauna Hoare, que foi originalmente acusada de perverter o curso da justiça, foi acusada de assassinato.

Nathan reafirmou por várias vezes a versão de que a namorada não sabia do assassinato, que ela estava no jardim no momento do crime. Mas devido a mensagens de texto trocadas entre o casal meses atrás, onde planejavam detalhadamente sequestrar uma adolescente para satisfazer uma fantasia sexual, a polícia não acreditou na versão de Nathan.

Curso do julgamento

O julgamento por assassinato começou em 6 de outubro de 2015 no Bristol Crown Court. A promotoria sustentou a versão de que Becky foi sufocada em seu quarto durante um plano de sequestro “sexualmente motivado” realizado pelo casal.

Ainda de acordo com a promotoria, após o assassinato, Nathan e Shauna colocaram o corpo da menina no porta-malas de seu carro e ficaram na casa por mais algumas horas, durante as quais outros membros da família chegaram em casa. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mais tarde naquele dia, eles voltaram para sua própria casa, onde nos dias seguintes desmembraram seu corpo usando uma faca e uma serra circular e colocaram os restos em sacos e caixas, que foram escondidos no galpão de um vizinho.

Shauna descreveu as mensagens de texto que trocou com Nathan sobre sequestro de garotas nos meses anteriores, como “infelizes” e “sarcásticas”. A promotoria alegou que as mensagens de texto entre os dois, bem como outros conteúdos encontrados em sua casa (fotos contendo pornografia infantil), sugeriam “um interesse não natural compartilhado em mulheres adolescentes atraentes”. 

Em 19 de fevereiro de 2015, antes de irem para casa de Becky, eles foram vistos em um supermercado comprando baterias, que supostamente seriam necessárias para as armas de choque que pretendiam usar no sequestro. Os registros sugeriam premeditação, Nathan sabia que sua mãe estaria fora de casa e esse seria o momento perfeito de agir.

Sentença

Em 11 de novembro de 2015, o júri considerou Nathan Matthews culpado de assassinato e Shauna Hoare culpada de homicídio culposo. Ambos também foram condenados por conspiração para sequestro, perversão do curso da justiça, impedimento do enterro legal de um corpo e posse de duas armas de choque.

Nathan e Shauna na prisão. / Foto: Reprodução.

Em 13 de novembro de 2015, Nathan Matthews foi condenado à prisão perpétua com uma pena mínima de 33 anos e Shauna Hoare a 17 anos de prisão. Em suas observações de sentença, o juiz concordou com a acusação da promotoria de que o sequestro planejado era para um “fim sexual”, dizendo a Nathan que ele tinha “uma fixação em fazer sexo com adolescentes pequenas” e que acreditava que Shauna havia sido “persuadida a participar do crime”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao final da leitura da sentença, o juiz dirigiu-se a família da vítima dizendo: “Finalmente, gostaria de prestar homenagem pública à família de Becky, pela maneira digna como eles se conduziram ao longo deste processo”.

O funeral de Becky Watts ocorreu na Igreja de St Ambrose em Whitehall, Bristol, em 17 de abril de 2015 e foi descrito por sua família como “uma ocasião para celebrar a vida de Becky”.