Bobby Dunbar, a criança criada pela família errada por acidente

Bobby desapareceu quando tinha 4 anos. Sua família acreditava que havia reencontrado, mas um século depois a ciência mostrou que era outra pessoa.

You are currently viewing Bobby Dunbar, a criança criada pela família errada por acidente

Bobby Dunbar foi um menino de apenas quatro anos que desapareceu enquanto sua família estava passando férias de verão em uma outra cidade. Ele era o filho mais novo de uma família rica.

O seu desaparecimento ocorreu em 23 de agosto de 1912. O garoto sumiu abruptamente e sem deixar pistas. Rapidamente começaram as buscas e acionaram a polícia. A princípio acreditava-se que que ele poderia simplesmente ter se perdido na região.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

blank

Ele poderia estar vivo em algum canto escondido da mata, ter se afogado ou ter sido comido por um crocodilo. As buscas foram intensas e das mais variadas formas, inclusive fazendo varreduras no fundo dos lagos da região.

O tempo foi se passando e nada da criança aparecer, a polícia então começou a suspeitar que poderia ter sido um sequestro, e expandiu suas buscas por um raio muito maior, incluindo outros estados.

Um garoto encontrado

Oito meses após seu desaparecimento, um garoto com as mesmas características de Bobby foi encontrado em outro estado. Ele estava junto a um homem chamado William Cantwell, que alegou não se tratar de quem eles estavam procurando, mas sim de Charles Anderson.

O homem afirmou que Charles Anderson era filho de seu irmão com uma mulher chamada Julia Anderson, e que ele estava com a criança com o consentimento da mãe. As autoridades não acreditaram muito nessa história.

Por isso levaram esse menino para que Lessie, a mãe do garoto desaparecido, pudesse reconhecê-lo (ou não). O que realmente aconteceu nesse encontro é uma grande dúvida, pois grandes jornais da época relatam coisas completamente diferentes. Enquanto um jornal diz que o garoto reconheceu a mãe na hora e foi correndo em direção aos seus braços gritando “mamãe”, outro afirma que o garoto se manteve tímido e assustado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Independente do que realmente aconteceu nesse primeiro encontro, no dia seguinte, a família alegou ter encontrado marcas conhecidas no corpo do menino e afirmou que ele era de fato o Bobby. Quando chegou na cidade, foi recebido com uma grande festa, incluindo caminhões de bombeiros adornados com flores.

Daqui em diante a história se torna um julgamento midiático. A imprensa esteve presente durante toda a cobertura do acontecimento, e estiveram ao lado da família Dunpar, uma família rica e poderosa da região, em detrimento a Julia Anderson, uma mulher pobre e que frequentemente era chamada de prostituta.

Julia Anderson foi até o Mississipi para realizar sua defesa e tentar reaver o filho dela. Ela afirmou que havia deixado seu filho com William Cantwell, porém o objetivo era que eles ficassem juntos apenas dois dias, porém esse período se estendeu por 15 meses. De qualquer forma se tratava do filho dela.

Foi lhe dado a oportunidade de fazer o reconhecimento da criança. E assim como Lessie Dunbar, Julia Anderson também teve dificuldades de reconhecer o garoto logo no primeiro encontro, afinal já haviam passado 15 meses desde o último contato entre eles.

Porém, assim como Lessie Dunbar, em um segundo momento ela afirmou que aquele se tratava do filho dela. Nesse momento existia uma criança com duas mães diferentes afirmando sua maternidade. Quem era realmente sua mãe?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A versão de Julia foi desacreditada pela imprensa local, pois se tratava de uma mulher pobre e principalmente porque tinha filhos com homens diferentes, uma postura considerada imprópria para a época.

As versões de Bobby sobre qual delas seriam realmente sua mãe eram escassas. Ele tinha apenas 4 anos e um perfil bastante tímido, porém tinha memórias de seu sequestro por parte dos Walters, que muitas décadas mais tarde se descobriu que não era verdade. Ele era apenas uma criança, e crianças são facilmente manipuláveis.

A derrota de Julia Anderson

Julia não tinha dinheiro, não tinha advogado e não tinha aliados no Mississipi. Ela não teve chances contra os Dunbar, e o juíz do caso determinou que a criança era Bobby, e que deveria ficar com os Dunbar.

Julia Anderson aceitou a derrota, retornou ao seu estado, e a princípio, nunca mais viu Bobby. O que lhe reconfortava é que agora seu filho estava em uma família muito mais rica e teria melhores condições de vida.

De acordo com as entrevistas do garoto ao longo dos anos, Julia estava certa sobre a qualidade de vida superior que seu filho teria, ele realmente foi muito bem cuidado. Mesmo assim, ela não conseguiu aguentar a tristeza e veio a falecer com uma forte depressão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Casamento

Bobby Dunbar foi crescendo, até casar-se aos 18 anos. Seu casamento resultou em quatro filhos. Posteriormente seus netos ficariam intrigados com essa história e investiram tempo e dinheiro para encontrar uma resposta definitiva.

Teste genético

Em 1999 alguns descentes de Bobby decidiram se unir para ter um veredito mais assertivo sobre seus antepassados. Para isso, começaram estudando as matérias vinculadas pela imprensa na época, e depois evoluíram para a ideia de fazer um teste de DNA entre o filho de Bobby e algum descendente dos Dunbar.

Então o filho de Bobby, Robert Dunbar Jr, se uniu ao seu primo, o filho de Alonzo Dunbar (irmão do Bobby), e realizaram um teste de DNA. O resultado, para surpresa de todos, definiu que não havia qualquer grau de parentesco entre os dois.

Bobby Dunbar não era Bobby Dunbar, sua vida inteira havia sido uma mentira. Porém, isso não garantia que ele fosse Charles Anderson, apesar de ser o mais óbvio de inferir.

O que aconteceu com o verdadeiro Bobby Dunbar?

Essa é uma pergunta que provavelmente nunca saberemos a resposta, já se passou mais de um século desde o desaparecimento, tornando a resolução do problema muito difícil. De qualquer forma, hoje em dia Bobby Dunbar é considerado um desaparecido.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Juliane Cunha

27 anos, trabalho na área da saúde. Adoro escrever e também adoro casos criminais, nada melhor que unir o útil ao agradável. Me segue no Instagram @julianesantt | @casocriminal_