Nevada-tan (Natsumi Tsuji), aos 11 anos matou sua colega Satomi Mitarai

Com inteligência considerada de gênio, Nevada-tan foi uma garota japonesa de 11 anos de idade que matou sua amiga na escola e de forma cruel.

You are currently viewing Nevada-tan (Natsumi Tsuji), aos 11 anos matou sua colega Satomi Mitarai

Nevada-tan é o apelido dado a uma garota de apenas 11 de idade que assassinou sua colega de escola de 12 anos. O crime ocorreu no dia 1° de junho de 2004, na cidade de Sasebo, localizada na província de Nagasaki, no Japão.

O nome real da criminosa é Natsumi Tsuji, que no início do caso permaneceu em segredo de justiça, devido a uma lei japonesa que não permite a divulgação dos nomes de infratores menores de idade. Entretanto, acidentalmente veio a vazar na internet.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, esse caso também pode ser identificado pelo nome de Sasebo slashing, e até meme virou na internet, devido a pessoas que compactuam com esse tipo de crime — sim, isso existe, e ocorre normalmente entre crianças e jovens que se identificam com a assassina.

O que sempre intrigou desde o início dessa história é que as duas garotas eram muito amigas, mas então porque uma chegaria ao ponto de assassinar a outra? O que motivaria uma criança a cometer um crime tão cruel?

blank
Nevada-tan sob a seta esquerda, utilizando o moletom que deu origem a seu apelido; e Satomi Mitarai sob a seta direita.

Nevada-tan assassinou sua colega Satomi Mitarai

Naquele dia, Nevada-tan estava levando para a escola um estilete. No horário do almoço ela persuadiu Satomi Mitarai a entrar em uma sala de aula que estava vazia naquele momento, e em seguida fechou as cortinas.

Primeiramente ela disse que queria lhe ensinar um novo jogo. Então mandou Satomi sentar em uma cadeira e tirou seus óculos. Ela lhe disse que ia morrer, mesmo assim, Satomi não fugiu. Afinal de contas, ela acreditava se tratar de um jogo.

Natsumi disse que ela não poderia olhar, então cobriu os olhos de sua amiga com uma de suas mãos e, com a outra, puxou o estilete que havia levado para a escola e cortou profundamente o pescoço da vítima.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Agora com a garganta cortada, Satomi não conseguia gritar para pedir ajuda e era incapaz de se defender. Natsumi continuou o ataque, dessa vez lhe cortando o pulso. A vítima caiu no chão da sala de aula, agonizando em silêncio total. Nevada-tan ficou assistindo sua colega sangrar até a morte.

Depois disso, Nevada-tan deixou a sala de aula onde correu o assassinato e sem demonstrar remorso algum, se dirigiu para a sala de aula onde estava a professora, caminhando pelos corredores da escola coberta de sangue.

A professora, que já havia notado que as duas garotas estavam desaparecidas, entrou em pânico. Ela pensou que Nevada-tan acidentalmente havia se cortado, até a garota dizer “esse não é meu sangue”. Ela saiu correndo para encontrar Satomi. Nevada-tan seguiu atrás dela, chorando e repetindo: “Eu fiz algo errado”.

A escola chamou uma ambulância, a polícia e os pais da vítima com o alerta de que sua filha estava “machucada”, mas na verdade ela já estava morta.

Quando a ambulância chegou, Satomi Mitarai já tinha morrido pela alta quantidade de sangue perdido, seus pais chegaram logo depois. Nevada-tan repetidamente se desculpava pelo o que havia feito.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quando a polícia chegou, Natsumi confessou o crime, e em seguida disse que estava planejando o ato há quatro dias. Na delegacia, ela mostrou algum remorso: “Eu fiz algo errado, não fiz? Desculpa, desculpa mesmo“, ela falava enquanto chorava.

blank
Satomi Mitaria, a vítima.

Relação entre Nevada-tan e Satomi Mitarai

As duas eram muito amigas. Eram vistas andando juntas e conforme relato de colegas, não parecia haver nada de errado entre elas, inclusive nos dias que antecederam o crime.

Nevada-tan tinha uma inteligência considerada de gênio, suas notas na escola eram ótimas, mas também tinha obsessão por filmes de terror e parecia ter dificuldades de inferir o que era real ou fantasioso.

Motivações para o crime

Por restrições da sua mãe quanto a outras tarefas, Natsumi começou a utilizar mais o computador, onde tornou-se fã de animes e conheceu o filme japonês Battle Royale. A garota rapidamente se identificou com as cenas de violências que nele ocorrem.

Battle Royale é um filme que trata sobre uma sociedade futurista na qual 42 estudantes são enviados para uma ilha deserta onde tem que sobreviver matando-se uns aos outros.

Nessa época, ela teve a ideia de criar um site com animações de horror.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Posteriormente, Satomi e Nevada-tan tiveram uma discussão. Como forma de vingança, Satomi publicou no site da amiga dizendo que ela era “gorda” e “pretensiosa”. Natsumi ficou muito braba e exigiu que a amiga pedisse desculpas.

Satomi se negou a pedir desculpas, e isso foi alimentando a raiva de Nevada-tan até resultar no assassinato da amiga.

Por fim, pode-se concluir que o assassinato ocorreu por motivo fútil. Nevada-tan já tinha traços de uma pessoa problemática, e isso veio a se confirmar no reformatório onde ficou nos anos seguintes.

Sentença

No dia 15 de setembro de 2004, a corte japonesa decidiu institucionalizar a menina por causa da gravidade do crime. Ela foi enviada a um reformatório onde ficaria, ao total, sob observação durante os 9 anos seguintes. A ideia era uma pena menor, porém Nevada-tan não demonstrava evoulação.

Após dois anos no reformatório, em setembro de 2006, a corte decidiu prolongar esse período por mais dois anos. Eles queriam continuar sua avaliação psicológica, pois pelo seu comportamento estranho, acreditavam que a menina ainda poderia apresentar perigo para a sociedade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 29 de maio de 2008, lhe foi concedido a prisão domiciliar. O tribunal japonês disse que ela tinha desenvolvido as habilidades necessárias para interagir com outras pessoas e as autoridades afirmaram que não estavam buscando uma sentença adicional.

Em 2013, aos 20 anos de idade, ela foi liberada pela justiça, com sua pena totalmente cumprida. Sua família mudou-se para um local desconhecido.

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments

Juliane Cunha

27 anos, trabalho na área da saúde. Adoro escrever e também adoro casos criminais, nada melhor que unir o útil ao agradável. Me segue no Instagram @julianesantt | @casocriminal_