Steven Stayner, sequestrado e abusado sexualmente por sete anos

Steven Stayner foi sequestrado e abusado sexualmente durante sete anos. Em 1980 conseguiu escapar, salvando mais uma criança consigo.

You are currently viewing Steven Stayner, sequestrado e abusado sexualmente por sete anos

Steven Stayner tinha 7 anos em 4 de dezembro de 1972 quando foi abordado na volta da escola por um homem que distribuía panfletos religiosos.

O homem disse ao garoto que queria muito falar com sua mãe para arrecadar donativos e lhe ofereceu uma carona para casa. Steven era apenas uma criança, e aceitou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dentro do carro, esperando com o motor ligado, estava Kenneth Parnell, um predador sexual. Kenneth era extremamente manipulador. Ele convenceu Edward, que estava caminhando na rua, a abordar Steven com a desculpa de que havia sido escolhido por Deus para guiar os caminhos da criança.

Quando os pais perceberam que o filho estava demorando muito para chegar em casa, ficaram completamente desesperados. Steven estava habituado a voltar sozinho e nunca havia desviado o caminho.

Steven Stayner sofre abusos sexuais durante sete anos

Após ter sido sequestrado, Steven foi levado para a casa de Kenneth. Os abusos se iniciaram imediatamente, ele até tentou resistir no início mas era impossível competir com um criminoso sexual.

Após uma semana de cativeiro, o sequestrador disse a Steven que sua família não o queria mais, e que sua ausência estava sendo um alívio financeiro para eles. Ele relutou a acreditar, mas Parnell insistia no assunto e chegou a dizer que já tinha sua custódia definitiva.

Steven era constantemente ameaçado caso contasse dos abusos, Kenneth o ameaçava com violência física. Ele também foi forçado a adotar o nome de Denis Parnell, e a chamar Kenneth de pai.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Esforços da família Stayner e negligência policial

A família de Steven se empenhou muito na busca, mas diversas falhas por parte da polícia foram apontadas. Foram produzidos milhares de cartazes com a foto e descrição do garoto para serem distribuídos pelas autoridades em um parque local, mas segundo depoimentos esses cartazes nunca sequer foram vistos pela comunidade.

Este mesmo parque foi frequentado algumas vezes por Kenneth e o garoto sequestrado, ou seja, uma imensa negligência por parte das autoridades.

Kenneth Parnell já tinha passagem na polícia por ter agredido sexualmente um garoto de nove anos, mas por um motivo desconhecido seu nome nunca foi acrescentado aos registros de pedófilos da região. Kenneth nunca foi considerado nem suspeito do caso.

Em um dado momento, o FBI pediu a lista de funcionários da empresa que Kenneth trabalhava na região. Além de a empresa ter demorado três meses para entregar os registros, ainda o fez de maneira incompleta. O nome do criminoso e de mais algumas dezenas de funcionários nunca foi entregue a polícia.

Cerca de 30 dias após o sequestro, Kenneth matriculou Steven numa escola local, apresentando-o como seu filho. A família do garoto chegou a visitar este distrito escolar e entregar panfletos com a foto do menino, que mais uma vez nunca foram distribuídos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

blank
Kenneth Parnell e Steven Satyner. / Foto: Reprodução

É importante salientar que o caso ocorreu na década de 70, ou seja, poucos documentos eram exigidos e também era possível falsificar praticamente qualquer coisa em papel. Isso facilitou a vida de Kenneth quando dizia ser o pai de Steven.

A família Stayner também entrou em contato com duas grandes emissoras de televisão a fim de que o caso ganhasse visibilidade, mas as emissoras alegaram que esse caso não era interessante para a TV e nunca deram seguimento.

Timothy White, uma segunda criança no cativeiro

Em 1979, Kenneth pediu a Steven que convidasse um colega de escola chamado Rich para brincar no trailler onde moravam. Quando o garoto chegou lá, o pedófilo ofereceu a ele cinco dólares para que lhe fizesse “favores sexuais”. O menino não aceitou e conseguiu sair às pressas de lá.

No dia dos namorados de 1980, junto com um amigo, Kenneth sequestrou outra criança. Timothy White de apenas cinco anos de idade. Por muitas vezes Parnell pediu a ajuda de Steven para sequestrar outras crianças, mas ele sempre se negou.

Assim que Timothy chegou, Steven se apegou muito a ele e jurou a si mesmo que não o deixaria sofrer o mesmo que ele. Logo no primeiro dia de cativeiro, Steven tentou fugir com o garoto menor mas por algum motivo não teve sucesso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A partir disso ele começou a sair da escola mais cedo, para chegar em casa antes de Kenneth e impedir que o garoto menor fosse abusado. E isso funcionou, Timothy nunca sofreu agressão sexual.

Steven fez várias tentativas de fuga no intuito de devolver Timothy para sua família, porém todas frustradas.

Em primeiro de março de 1980, Steven e o garoto de cinco anos foram até uma delegacia. Chegando lá ele disse a Timothy que ficaria do lado de fora e que ele deveria entrar e dizer o que estava acontecendo. Mas minutos após, o pequeno White saiu correndo de volta para os seus braços. Tal cena chamou a atenção de um policial que resolveu seguí-los até em casa.

Com a ajuda de reforços, os garotos foram levados a delegacia novamente, e lá Steven contou que estava sequestrado a mais de sete anos. Ele se negou a dizer o nome do sequestrador, até que os policiais prometeram que ofereceriam ajuda caso ele estivesse doente.

Kenneth Parnell foi preso e Steven Stayner precisou identificá-lo cara a cara. Em seguida Timothy foi devolvido para sua família e Steven foi encaminhado para sua casa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Detalhes sobre Kenneth Parnell

Kenneth Eugene Parnell era natural do Texas, EUA. Desde pequeno dava sinais de um comportamento estranho, aos cinco anos de idade arrancou quatro de seus dentes com um alicate e nos anos seguintes tentou se ferir e se cegar por diversas vezes.

Aos trezes anos foi agredido sexualmente por um homem mais velho e após essa experiência traumática ele ateou fogo em um pasto e foi enviado para uma instituição juvenil. Lá seu psiquiatra o descreveu como tendo uma disposição sofisticada para perversão.

No ano seguinte roubou um carro e foi preso. Em 1948, aos treze anos de idade, foi preso novamente, desta vez por praticar ato sexual em público. Dois meses depois roubou outro carro, foi preso, e logo em seguida fugiu da instituição juvenil. Segundo Kenneth, a fuga foi motivada pelo desejo de perseguir um menino que conheceu e o achava atraente.

Após alguns dias foi preso novamente e tentou cometer suicídio. A partir disso seguiu-se uma internação em um hospital psiquiátrico da qual ele conseguiu fugir e voltou a perseguir o mesmo menino de antes.

Aos dezenove anos foi condenado por agressão sexual a um menino de nove anos de idade. E no julgamento ele ainda confessou que sentiu uma vontade imensa de estrangular a criança durante o ato. Parnell foi oficialmente diagnosticado como um psicopata sexual e enviado a um hospital psiquiátrico de onde fugiu e foi preso novamente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Finalmente em uma prisão de segurança máxima, cumpriu apenas três anos e foi liberado em condicional. Por violação ao regime foi preso mais diversas vezes, e passou os anos seguintes entrando e saindo da cadeia.

Chegou a casar-se duas vezes e teve dois filhos.

Condenação de Kenneth Parnell

Seguindo leis da época, Kenneth Parnell foi condenado a apenas vinte meses de prisão pelo sequestro de Steven que durara sete anos. Ao todo, somado a pena relativa a Timothy White, ele foi condenado a oito anos e oito meses ao total.

blank
Kenneth no julgamento. / Fonte: Modesto Bee

Foi solto após cinco anos por bom comportamento e morreu em 2008 por causas naturais.

O retorno de Steven Stayner para a família

Steven sofreu muito quando retornou para sua vida familiar. O bullyng que sofreu na escola por ter sido abusado sexualmente o fez desistir dos estudos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em casa, no seio familiar, também teve dificuldades. A criação dada por Parnell era totalmente relapsa, ele permitia que Steven bebesse e fumasse a hora que quisesse. Ao retornar para casa se deparou com regras e uma vida saudável.

Certa vez chegou até a ser expulso pelo pai, o que se resolveu dias após.

Infelizmente aos vinte quatro anos de idade, Steven morreu em um acidente de trânsito. Na época era casado e tinha dois filhos, sua vida tinha finalmente voltado aos eixos. O motorista que o atropelou negou socorro. Ao ser pego cumpriu apenas três meses de prisão e pagou uma multa de cem dólares.

blank
Steven Stayner no retorno para casa, seu pai aparece sorrindo logo atrás. / Fonte: Modesto Bee

Curiosidades sobre o caso

Timothy White se tornou vice xerife, defendeu vítimas de abuso sexual e foi incessante na busca pela prisão perpétua de Kenneth, o que nunca aconteceu.

blank
Timothy White com sua farda de xerife. / Fonte: Dignity Memorial

Se casou, teve dois filhos, mas infelizmente aos trinta e cinco anos de idade faleceu devido a uma embolia pulmonar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O irmão mais velho de Steven, Cary Stayner, foi condenado em 1999 por matar quatro mulheres no parque nacional onde trabalhava, ficando conhecido como “o assassino do parque Yosemite”. Se tornou um serial killer, segundo ele, devido a negligência dos pais que estavam muito envolvidos na busca por Steven e não davam atenção necessária aos outros irmãos.

Mais tarde isso foi desmentido. Cary chegou a confessar que antes mesmo do irmão ser sequestrado já tinha o desejo de matar mulheres.

Leia também a história do irmão de Steven: Cary Stayner, o serial killer de Yosemite

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Juliane Cunha

27 anos, trabalho na área da saúde. Adoro escrever e também adoro casos criminais, nada melhor que unir o útil ao agradável. Me segue no Instagram @julianesantt | @casocriminal_