Caso Rui Pedro, criança desaparecida e achada em site de pornografia (The Wonderland Club)

Rui Pedro, de Portugal, é uma criança desaparecida que foi encontrando em um site de pornografia infantil chamado Wonderland Club.

You are currently viewing Caso Rui Pedro, criança desaparecida e achada em site de pornografia (The Wonderland Club)

Rui Pedro Teixeira Mendonça, filho de Filomena Teixeira, tinha 11 anos quando desapareceu, em Lousada, Portugal. No dia 4 de março de 1998, por volta das 14h da tarde, o garoto foi de bicicleta até o escritório da mãe, já que era próximo de sua casa.

Rui perguntou a sua mãe se poderia passar a tarde com Afonso Dias, seu amigo, de 21 anos. Filomena negou, e disse que se o menino quisesse, poderia brincar em um terreno perto do escritório. Essa foi a última vez que os dois se falaram.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Desaparecimento e início das buscas

As buscas começaram após o professor de Rui ligar para seus pais, informando que o garoto não compareceu as aulas. Desesperados, os pais acionaram a polícia. Filomena contou sobre o pedido que Rui fez, sobre passar o dia com seu amigo.

Afonso foi interrogado e disse que não sabia sobre o desaparecimento de Rui, mas sugeriu a polícia a “fechar as fronteiras”, pois quem estaria com Rui poderia sair do estado ou até mesmo do país.

João Mendonça, primo de Rui, contou à polícia do envolvimento de Alcina Dias, uma prostituta. Afonso convidou os dois para a encontrá-la. Alcina confirmou o fato e disse que foi paga para ter sexo com Rui, que estava muito assustado e chorando quando saiu do carro do mais velho.

Ela tentou acalmar o garoto, perguntou se sua mãe sabia que ele estava ali e ele negou. Logo após, Rui voltou para o carro e nunca mais foi visto.

Surgem diversas evidências

Em abril de 1998, o comentarista político Nuno Rogério viajou para a Disneyland Paris com sua família. Durante a viagem, a família Rogério tirou várias fotografias enquanto passeava; uma dessas fotos mostra um garoto sentado atrás da família que se parecia muito com Rui Pedro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sentado ao lado do garoto está um homem de 40 anos vestindo uma jaqueta vermelha. A polícia portuguesa confiscou as fotografias para uma análise mais aprofundada, mas nenhum progresso foi feito em relação a esse avistamento.

“The Wonderland Club” (O Clube do País das Maravilhas), site de pornografia infantil

Em 01 de setembro do mesmo ano, uma operação internacional de pornografia infantil foi feita. O grupo era conhecido como “The Wonderland Club”. Rui estava entre as 1.263 crianças dos mais de 750 mil vídeos e imagens que a polícia conseguiu checar.

A mãe de Rui e a Interpol chegaram a falar que era realmente ele nos vídeos e nas fotos. Segundo algumas fontes, havia um pedófilo do The Wonderland Club que estava morando em Portugal naquela época, mas a polícia portuguesa descartou essa evidência.

Na mesma época do caso de Madeleine McCann, uma fonte informou que um menino em um restaurante disse “Eu também fui raptado. Sou de Famalicão, e ninguém procura por mim”, mas as autoridades portuguesas ignoraram esse fato, dizendo que não era uma pista consistente.

Falhas da polícia na investigação

No primeiro dia do desaparecimento de Rui Pedro, diversos de seus amigos relataram na delegacia que Afonso estava obcecado com Rui. Ele sabia tudo sobre a vida do garoto, onde ele estava, com quem estava e o que faria no dia seguinte.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Porém, a polícia acabou descartando, achando que eles estavam mentindo. Somente em 2011 essas crianças foram tidas como testemunhas confiáveis. Em novembro de 2011 Afonso Dias foi julgado e Alcina o reconheceu.

A mulher tentou fazer um depoimento à polícia, mas como não identificou Afonso Dias pelo nome, nunca foi ouvida de fato. Em 2012, Afonso foi absolvido por falta de evidências.

Um ano antes do desaparecimento de Rui Pedro, sua irmã chegou a relatar que Afonso tirou diversas fotos dela e de Rui, algo que ele nunca tinha feito antes.

Julgado novamente e condenado

Em 2014, Afonso foi julgado novamente e condenado a três anos de prisão, por ter forçado Rui a se relacionar sexualmente com Alcina, mas nunca como responsável pelo desaparecimento do garoto.

Afonso ficou preso por dois anos, sendo liberado após cumprir dois terços da pena por bom comportamento. Ele também se declara inocente sobre o desaparecimento do menino.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Filomena, mãe de Rui, falou em como as autoridades ignoraram várias pistas e fatos, não fazendo nada, e como ela começou agir por contra própria para achar seu filho, saindo até do país. Manuel Mendonça, o pai, falou sobre como o lugar parecia um “hotel” ao invés de cadeia.

A família segue sem saber o paradeiro de Rui

Em 28 de janeiro de 2020, Rui Pedro celebraria o seu 33º aniversário e a mãe, mais uma vez, recordou-o com saudade. Em uma carta arrepiante e cheia de emoção, Filomena Teixeira recorda o filho e deixa-lhe palavras de amor.

Uma carta dura, publicada no jornal ‘Terras do Vale do Sousa’, na qual a mãe manifestou o seu amor eterno por Rui: “E agora já com 33 anos, que aspecto tens? Como estás? Parabéns meu filho! Onde quer que estejas, recebe este abraço apertadinho tão nosso… e muitos beijinhos”.

Filomena relatou que o seu pai gastou todo o dinheiro que podia à procura do neto, para aliviar a dor da família, e que era chamada para ver vídeos de pedofilia. “Vi coisas horríveis. A partir das 4 horas da manhã é que se consegue ver os pedófilos atuar.”

”Mostravam-me crianças a serem violadas e eles a terem prazer com o choro. Masturbavam-se à custa disso. Estava a ver as imagens, para ver se algum deles era o meu, e cheguei a um ponto em que não conseguia mais”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Considerações finais

“O desaparecimento de Madeleine McCann”, série documental da Netflix, aborda o caso de Rui e de Joana Cipriano. A comparação com o caso de Maddie é feita quando a mãe de Rui aparece, em uma declaração antiga, a dizer que, quando o seu filho desapareceu, recebeu menos atenção.

Rui Pedro continua desaparecido até nos dias de hoje, o caso nunca teve uma explicação confirmada.

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments

Juliane Cunha

27 anos, trabalho na área da saúde. Adoro escrever e também adoro casos criminais, nada melhor que unir o útil ao agradável. Me segue no Instagram @julianesantt | @casocriminal_