Início » Massacres » Shasta Groene, a única sobrevivente de um massacre familiar

Shasta Groene, a única sobrevivente de um massacre familiar

Depois de ter sua família morta por um predador sexual, Shasta Groene foi sequestrada e estuprada durante 47 dias.

Shasta Groene, de 8 anos, morava com sua mãe Brenda, seu padrasto Mark e seus dois irmãos, respectivamente Slade Groene de 13 anos e Dylan Groene de 9 anos.

Não se tem muitas informações sobre a rotina da família de Shasta, mas acredita-se que eles levavam uma vida normal. Porém tudo começou a mudar alguns dias antes do crime, quando um predador sexual começou a observar a rotina da família.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Morte e sequestro na residência Groene

No dia 16 de maio de 2005, Joseph Duncan, com 42 anos de idade, invadiu a casa munido de um revólver e um martelo, e através de fortes ameaças, ordenou que os dois adultos da casa reunissem todos os membros da família em um só cômodo.

Então Shasta Groene foi acordada as pressas durante a madrugada por sua mãe, que a levou junto com todos os outros membros da família para uma das salas da casa. Logo em seguida ele começou a amarrar e prender a todos, para que não pudessem reagir.

Porém Joseph estava completamente descontrolado, e em um movimento súbito e sem qualquer aviso, atirou em Brenda, Mark e também em Slade, o irmão mais velho de Shasta.

Após massacrar a família na frente de Shasta e Dylan, ele carregou as duas crianças para o carro e dirigiu até o Estado vizinho, Montana.

Joseph Duncan se instalou em um acampamento remoto que não contava sequer com energia elétrica, em uma distância estimada e 250km da casa da família Groene.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Esse seria apenas o início dos 47 dias em que Shasta e o irmão passariam em cativeiro, sofrendo abusos sexuais todos os dias, comendo pouquíssimas refeições e dormindo dentro do carro de seu sequestrador.

Os irmãos Groene em um dos panfletos distribuídos na época. / Foto: Reprodução.

Em 17 de maio, após um dos vizinhos estranhar o sumiço da família ele foi até a casa dos Groene. Chegando lá se deparou com a porta entre aberta e decidiu ir entrando, a cena que presenciou era cruel. Rapidamente a polícia foi acionada e emitiu um alerta Amber em todo país.

Um Alerta AMBER é um sistema de alerta de rapto de criança. Tem origem nos Estados Unidos em 1996. O alerta AMBER é distribuído através das estações comerciais de rádio, rádio na internet, rádio por satélite, estações televisivas e TV por cabo pelo Sistema de Alertas de Emergência e pela Rádio de Meteorologia. Os alertas são também enviados por e-mail, sinais eletrônicos de trânsito, outdoors comerciais, e através de mensagens de texto por wireless. 

Morte de Dylan Groene

Joseph Duncan oferecia apenas frutas enlatadas para que as crianças se alimentassem, e Sasha Groene chegou a afirmar que certa vez ele a amarrou em uma árvore e voltou somente dois dias depois para soltá-la.

Em um dia pela manhã, Joseph mentiu as crianças que as levaria para casa. Os dois ficaram muito felizes e se abraçaram, e no exato momento em que Dylan se afastou da irmã, Joseph disparou um tiro em sua barriga. Quando o garoto caiu no chão, Joseph fez questão de atirar em sua cabeça para ter certeza que ele morreria.

Shasta ficou em estado de choque, mas mesmo assim seu sequestrador a obrigou a arrastar o corpo do irmão e a obrigou que ateasse fogo nele. Esse episódio gerou um grande trauma na menina, que ficou sem falar por alguns dias, apenas respondendo a Joseph com acenos de cabeça.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ela conta em depoimento que tinha um medo extremo de Joseph, e como ele mudava de acampamento a cada dois ou três dias era impossível que ela tivesse contato com outras pessoas e pudesse pedir ajuda.

A garota passou a concordar com tudo que o sequestrador propunha, e chegou a se convencer de que a morte de Dylan tinha sido apenas um acidente, como ele mesmo dizia. Ela sentia que ele podia machucá-la a qualquer momento caso não o agradasse.

Certo dia, Joseph disse a Shasta que ela deveria escolher como seria sua morte, e para isso ele lhe daria duas opções: um tiro na cabeça ou morte por asfixia.

Shasta Groene ainda tinha a lembrança da morte do irmão muito viva em sua mente, então preferiu morrer por asfixia. Nesse momento Joseph saiu para procurar uma corda e quando voltou subiu em cima de Shasta e começou a enforcá-la.

Rapidamente Shasta desmaiou, ela conta que nesse momento foi capaz de ver a mãe dizendo a ela que essa não era sua hora e que deveria voltar. De repente a menina recobrou a consciência e percebeu que Joseph estava chorando ao seu lado, ele disse que não foi capaz de matá-la porque ela o chamou de Jet, seu apelido de infância.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A coragem de Shasta salvou sua vida

No mesmo dia, Joseph perguntou a menina se ela queria conhecer a sua mãe, ela disse que sim e os dois embarcaram no carro, deixando o acampamento para trás. Eles pararam em um posto de gasolina no meio da estrada, Shasta e seu sequestrador foram flagrados pelas câmeras de segurança da loja de conveniência.

Câmera de segurança da loja de conveniência. / Foto: Reprodução.

Em 2 de junho, Joseph levou Shasta para almoçar em um restaurante na estrada. Nessa altura o alerta Amber já havia espalhado vários cartazes e outdoors com a foto de Shasta e Dylan por toda região.

Do lado de fora do restaurante haviam dois homens fumando, Shasta em um ato de coragem passou a fazer contato visual intenso com eles, que rapidamente a reconheceram e avisaram a gerência do restaurante.

A polícia foi acionada e pelos dez minutos que se seguiram a garçonete, que curiosamente se chamava Amber, manteve os dois clientes ocupados. Ela ofereceu milk shake e batatas fritas para a menina, além de trazer lápis de colorir e folhas de desenho. Joseph não desconfiou de nada.

Finalmente preso

Assim que os policiais entraram no estabelecimento, Joseph percebeu que ali seria o fim da linha e não resistiu a prisão. As autoridades perguntaram a Shasta qual era seu nome, no mesmo instante ela olhou com muito medo para seu sequestrador, mas ele disse que ela poderia falar a verdade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vida pregressa e sentença

Em 1980, quando tinha apenas 16 anos, Joseph Duncan foi condenado a 20 anos de cadeia por ameaçar com um revólver e estuprar um garoto de 14 anos. Cumpriu pena até 1994, quando saiu em liberdade condicional, enfrentando depois novas acusações.

Joseph Duncan em julgamento. / Foto: Reprodução.

Todos os seus casos estão ligados a pedofilia, crime também cometido contra Shasta e Dylan. Após se declarar culpado pelos abusos sexuais e assassinatos, foi condenado à morte em 2008. Ele também mantinha um blog na internet, onde anonimamente descrevia sua rotina como um criminoso sexual e o quanto isso lhe dava prazer.

A data da execução, no entanto, continua em aberto. Em 2016, a Suprema Corte dos EUA rejeitou um apelo de Duncan para que fosse novamente ouvido pela Justiça. Joseph relatou em depoimento que também foi vítima de estupro durante sua infância.

O criminoso não morava perto da família Groene e nunca ficou claro por que escolheu aquelas vítimas. Shasta afirma que, dois ou três dias antes de tudo acontecer, ele já observava ela e seu irmão brincando no jardim.